Crônica:Relações Na Real.

Eu escrevo tão pouco sobre relacionamentos e afins né?É que a moda e suas múltiplas mudanças acaba roubando toda a atenção desse blog.Mas de vez em quando é bom mudar o foco do assunto.Estou solteira a um bom tempo e sim gosto da minha vida como é e não tenho problema nenhum.E você também não deveria se martirizar por isso. Afinal relações amorosas é algo que muda a tua rotina e a do outro,então não pode ser qualquer pessoa.Auto estima sempre minha gente!

E essa semana que se passou andei conversando muito sobre o assunto com uma amiga sobre isso logo após da sessão de “Como eu era antes de você”(em breve resenha)e do quando as comédias românticas nos criam fantasias e expectativas que nunca serão vivenciadas nesse mundão real.Não espere o boy magia ir atrás de você no aeroporto,na sua casa ou mudar a vida dele de “galinha” porque conheceu o seu amor.A realidade é nua e crua.

Cena do filme”Amor e outras drogas”

Não adianta ficar só no sinais esperando que ele te decifre como uma esfinge egípcia.Tem que falar,demonstrar ,se jogar mesmo sem joguinhos.Acredito que isso só funcione nas telonas em que mocinho irá se apaixonar pela mocinha porque tá escrito no roteiro,diferente do nosso caso aqui né que depende da nossa boa vontade e o do amado/a.Ah Jú e será que vou sofrer?Vou ser rejeitada?Não sei miga,afinal não sou a mãe Dináh kkk. Agora de uma coisa tenho certeza você poderá ter perdido a oportunidade de conhecer alguém bacana por medo.

O medo ele é paralisante e as decepções são inerentes nessa caminhada.Isso quer dizer que alguém ou algo nos deixará chateado e não temos como evitar.Pessoas cometem erro e nós criamos expectativas sob elas.Ai é sacudir a poeira e dar volta por cima.A gente tem a opção de recomeçar.Já dizia uma canção que Elis Regina cantava:”Viver é bem melhor que sonhar” e se tiver com quem compartilhar melhor ainda.

Beijos 🙂

Jú Figueiredo

Respeite o Seu Estilo.

Esses dias minha mãe teve um dilema com as suas roupas para ir a uma festa de aniversário.Tudo o que ela vestia, não se sentia bem e ai só fazia dizer que não tinha roupas.O que era pura mentira ,o armário está cheio de peças que ela não usa.E que se usou uma vez foi muito.Tudo isso porque fez compras equivocadas,se deixou influenciar pela vendedora,amigas e etc.E ela também tem um grande defeito sempre compra um número menor do que realmente veste.

Resultado qualquer pesinho que ganha já vira um drama,em virtude da roupa já ficar apertada ou nem entrar.Ai eu penso por que passar por tudo isso ,se esse numerosinho não reflete muita coisa do  que nós somos?Ainda mais que a gente não tem um padrão de medição cada marca aqui define o seu P,M e G.Quantas vezes a gente veste M em uma loja e 42 na outra?Eu já passei e sempre passo por isso.Por isso a importância de experimentar mesmo,não só pelo tamanho mas para ver se se gostamos da peça,sentir o tecido no corpo,se vai usar  mesmo e já ir pensando com outras combinações com o que já temos em casa e tenha o seu estilo.É  um investimento que estamos fazendo e em tempos de crise econômica  a certeza é a melhor aliada.Não há sensação melhor do repetir aquela roupa que você se sente linda,confiante e recebe elogios por ele.

Promoção é sempre uma armadilha né?Já perceberam?A gente entra ,vê aquela peça incrível,experimenta pra vê se cabe e leva sem pensar.Quando abre o guarda roupa vem a decepção de não saber com que usar a peça.Ai pensamos vou ter que comprar algo pra combinar com ela e a deixa encostada no canto.Não vale a pena,a verdade que nunca vamos usar.Então como disse antes experimente,pare ,olhe e pense muuito antes de passar no caixa e levar.Respeite o seu estilo e o seu jeito.Prefira um guarda roupa com menos peças e que você use bastante do que um abarrotado que você não utiliza nem metade.

.skirt.

Beijos

Jú Figueiredo