vida de solteiro não é fácil. Infelizmente a sociedade te cobra um parceiro (a). E quanto mais velha (o) você vai ficando, maior é a cobrança. É mãe, pai, avós, tios, tias, irmãos, primos e amigos. Tanta gente fazendo a mesma pergunta, que ficamos constrangidos em repetir a resposta.
Mas cara leitora (o), não se sinta frustrada (o) por não conseguir um namorado (a), por não se casar e não ter filhos. Isso é o que esperam de nós, mas nem sempre é o que queremos. A vida de solteiro pode ser muito interessante se você se permitir.
Por exemplo. Estudar fora do País, o fato de não ter ninguém te esperando, pode ser um trampolim para se dedicar a sua carreira e viver novas experiências. É um super “up” no currículo. Se você preferir ficar por aqui. Pode investir em cursos, workshops, coach e até outra faculdade se já tiver feito, caso não tenha, essa pode ser a hora. Assim se descobre talentos nunca antes explorados e quem sabe seguir um novo caminho na profissão.
Sem falar é claro das possibilidades de sair á noite com os amigos, conhecer gente nova e interessante. Se divertir sem precisar dar satisfações á ninguém. Ou seja, se dedicar a si próprio. Quando se é solteira se tem essa possibilidade de se redescobrir. O que para muitos em um relacionamento estável é uma dificuldade. Porque eles se perdem, deixam de ser quem são para ser o que o outro espera dele.
Eles se anulam para serem os companheiros perfeitos, com medo de ficarem sozinhos. E aí vale a pena ter um relacionamento por conveniência? Só para provar para a sociedade que não é “encalhada”. Não, não vale! É um preço muito alto para se pagar. Se ame ,se cuide, tenha autoestima. Porque vai aparecer alguém incrível. Capaz de enxergar o quanto você é linda e inteligente. Acredite! Pessoas autênticas são mais atraentes. E da próxima vez que te perguntarem: você está namorando? Pode responder: Sim, estou em um relacionamento sério comigo.
Juliana Figueiredo.